quinta-feira, 30 de junho de 2011

São Paulo Fashion Week *

Eis que depois de um tempão sem postar resolvi contar um pouco sobre o São Paulo Fashion Week.
Eu sempre tive vontade de ir nesse evento. Eu via na televisão, nos blogs, nas revistas e imaginava como seria assistir um desfile assim. Parecia algo com tanto glamour!

Até que... em uma bela manhã de sábado a Vivi me liga e diz: "Amiga, tenho convite sobrando, vamos no SPFW?"
Imaginem a resposta e a minha animação no telefone! “Lóoogico que vou”!
Demoramos pra chegar lá! Só a Vivi sabe o sufoco de ir até a Lapa e depois até o Ibirapuera, mas valeu a pena!

Para entrar no evento precisa de um convite e para cada desfile precisa de outro convite. Tem também os lounges das marcas, mas você também só pode entrar se for credenciado. Mas mesmo sem o convite de todos os desfiles ou lounges é bacana ir para conhecer e visitar a Bienal, que tem exposições de fotos, lojinha e se você tiver sorte pode acabar esbarrando com algum famoso!

Fiquei animada e achei super legal as coisas lá! Encontrei umas pessoas famosas/conhecidas, como a Costanza Pascolato, um carinha da malhação, a Camila Pitanga, o Arlindo do Esquadrão da Moda e a Vera Holtz.

Também assisti o desfile da marca Amapô. Os desfiles são rápidos, duram uns 20 minutos mais ou menos e os modelos realmente são beeem magros e andam de um modo estranho.

Em resumo... a experiência foi ótima, é uma oportunidade boa para conhecer esse “mundo fashion”. Ou seja, se você tiver a oportunidade de ir, vá! Mas na minha opinião, depois que você vai, acaba percebendo que o evento é legal, mas não é tudo aquilo que a TV mostra. Ou é, mas só pra quem está na área Vip!

=**

quinta-feira, 5 de maio de 2011

What if tomorrow never comes?

Faz tempo que eu não escrevo aqui no blog, dei uma sumida, mas hoje entrei no Facebook e vi um clipe que a Vivi postou e resolvi escrever um pouco sobre isso e deixar o link do clipe. http://www.youtube.com/watch?v=1GWQ-oDMG6g
É uma música no Nickelback, chama "Never gonna be alone".
Me fez pensar sobre como eu encaro as coisas. Eu sei que aquele discurso de "aproveite o dia" já ficou batido, mas vendo o clipe eu parei pra pensar que só damos valor as coisas depois de perdê-las. Mas ai pode ser tarde demais e nem sempre dá pra recuperar o tempo perdido.
As vezes eu me preocupo com tantas coisas banais e esqueço de viver os detalhes da vida, e estes sim são os que fazem grande diferença.
A gente nunca sabe quando vai ser a última vez que iremos fazer algo, falar, abraçar alguém e é importante aproveitarmos e valorizarmos, as risadas, as conversas, os momentos felizes que vivemos.

"You've gotta live every single day
Like it's the only one
What if tomorrow never comes?"

=***



domingo, 27 de fevereiro de 2011

Colação de grau e baile de formatura *

Terminar a faculdade é muito bom!
Dá uma sensação de mais uma etapa vencida, depois de tudo que vivi nesse tempo.
Foram muitas provas, trabalhos, risadas, aulas de campo...
As vezes me pego pensando no dia que eu passei na fuvest, de como eu chorei de felicidade, de como eu fiquei ansiosa pela matrícula, das tintas no rosto, dos pedágios na Paulista e na Assis Ribeiro, do show do Teatro Mágico na semana dos bixos, das festas e tudo mais...
E agora depois de 4 anos, estou finalmente formada! Sou uma gestora ambiental!

Essa semana foi realmente ótima pra mim! Tive a colação e o baile de formatura! Gente, foi lindo! Fiquei muito muito muito feliz! Sabe quando você está tão feliz que parece que a felicidade não cabe dentro da gente? Pois é, eu fiquei assim! Adoro ter as pessoas que eu gosto reunidas comigo para comemorar algo!

O baile foi muito divertido, todo mundo muito feliz, principalmente o meu primo Daniel huauhauhahua. Foi muito bom dançar a noite toda, rir com as pessoas, beber caipirinhas de saque e tudo mais!

EACH-USP!!!!!!!!!!!!!!!

Ai embaixo tem algumas fotos! Depois eu coloco mais no Facebook e no Orkut!




segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Fuckin' Perfect *

video

Gostei dessa música! ;)

Made a wrong turn
Once or twice
Dug my way out
Blood and fire
Bad decisions
That's alright
Welcome to my silly life

Mistreated, misplaced, missundaztood
Miss know it, it's all good
It didn't slow me down
Mistaken, always second guessing
Underestimated, look I'm still around

Pretty pretty please don't you ever ever feel
Like you're less than fucking perfect
Pretty pretty please if you ever ever feel
Like you're nothing you're fucking perfect, to me

You're so mean
When you talk, about yourself
You're wrong, change the voices
In your head
Make them like you instead
So complicated
Look how we are making
Filled with so much hatred
Such a tied game
It's enough, I've done all I can think of
I've chased down all my demons
I see you do the same
Oooh oooooh

Pretty pretty please don't you ever ever feel
Like you're less than fucking perfect
Pretty pretty please if you ever ever feel
Like you're nothing you're fucking perfect, to me

The whole world is scared so I swallow the fear
The only thing I should be drinking is an ice cold beer
So cool in lying and we tried tried tried
But we try too hard, it's a waste of my time
Done looking for the critics, cuz they're everywhere
They don't like my genes, they don't get my hair
Stringe ourselves and we do it all the time
Why do we do that?
Why do I do that?
Why do I do that?
Yeah
Ooooh
Ooh, pretty pretty pretty

Pretty pretty please don't you ever ever feel
Like you're less than fucking perfect
Pretty pretty please if you ever ever feel
Like you're nothing you're fucking perfect, to me
You're perfect
You're perfect

Pretty pretty please if you ever ever feel like you're nothing.

You're fucking perfect, to me

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Borboletas *

Sou muito confusa, eu não sei sentir direito, ou sei até demais. Tem momentos que eu me pego pensando em coisas tão idiotas, fazendo planos e imaginando cenas que eu não sei de onde eu tiro. Na verdade até sei, mas a questão é que eu não queria imaginá-las. A surpresa é a melhor parte da vida. Aquela mensagem inesperada, aquela conversa de madrugada, aquela resposta, aquela risada no metro.

Sem isso não tem graça e eu ainda fico imaginando como as coisas vão ser, o que vai acontecer. Eu fico pensando mais ainda... só eu que faço isso?

Eu sempre fiz essas coisas de imaginar e criar uma cena pra tudo, desde quando eu tinha uns 5 anos e hoje eu percebi que a maioria das coisas que eu pensava antes não aconteceu ou aconteceu de outra maneira, algumas vezes bem melhor do que eu pensava.

É estranho me sentir assim tão vulnerável e tão forte, com sentimentos tão voláteis (ou não). Sentir que tá tudo muito bom e tudo muito indigesto ao mesmo tempo.

Na verdade, eu não gosto muito quando as coisas fogem do controle, mas estou aprendendo aos poucos que nem tudo se pode controlar. Afinal, é bom sentir borboletas no estômago as vezes...

"Não sei, deixo rolar, vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração eu sigo." (Caio Fernando Abreu).

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Melancia *

Terminei ontem de ler o livro Melancia.

Eu tava enrolando pra caramba pra terminar esse livro, não pq tava chato, pelo contrário, mas é que não tava tão animada pra ler nada. Tem época que eu fico super animada pra ler, mas tem época que não tenho a mínima vontade de pegar em um livro.

Mas enfim, sobre "Melancia"...

O universo da mulher na faixa dos 30 anos é retratado por meio de personagens carismáticos, reviravoltas e comentários hilariantes e feministas da protagonista. Não faltam farpas ao comportamento masculino. Melancia é de uma leitura maravilhosamente despretensiosa, ironizando e se aproveitando dos clichês para elaborar uma boa história. Melancia é um romance sobre a arte de manter o bom humor mesmo nos momentos mais adversos. Com 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire, se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais da gravidez. Nada tendo em vista que a anime, Claire volta a morar com sua excêntrica família. Após passar alguns dias em depressão, bebendo e chorando, Claire decide avaliar os prós e contras de um casamento. Em meio a muitas lágrimas, depressão e bebedeiras, Claire refaz a vida e se interessa por Adam - boa pinta, inteligente e, claro, super amoroso. Até que um dia, James, seu ex-marido, reaparece. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa.O enredo gira em torno de coincidências, segredos que só se revelarão no último capítulo, sendo uma verdadeira lição de moral: o que não mata fortalece, desde que os problemas sejam encarados com o mínimo de senso de humor. Realmente é muito bom pra ler quando se está pra baixo, ou não! Mostra como as mulheres quando querem SABEM e DEVEM ser fortes aos acontecimentos da vida! rsrs

E sim, apesar de algumas pessoas acharem o final ruim, eu gostei! O final se parece mais com a vida real do que com um filme, ou uma novela...